publicado em: sex, mar 11th, 2011

A Defesa Civil está em Colniza – MT.

pf button both A Defesa Civil está em Colniza   MT.
Defesa Civil de MT está em Colniza para atender os atingidos pelas chuvas

446c8b7ad9dff1ead5b68218435a38f2 A Defesa Civil está em Colniza   MT.
Nobres Leitores(as), a enchente do Rio Aripuanã, no município de Colniza (1.050 km a Noroeste de Cuiabá), nos últimos dias de fevereiro, provocou desespero em inúmeras famílias que viram suas casas sendo encobertas pela água, agricultores que viram suas plantações ficarem submersas e comunidades isoladas da sede do município por causa de queda de pontes e pontilhões. Nem a ponte sobre o rio Aripuanã da MT -206 resistiu e as famílias do distrito de Guariba estão totalmente isoladas.

A Defesa Civil do Governo de Mato Grosso já se encontra no local prestando atendimento e coordenando os trabalhos de ajuda aos desabrigados.
48c6f88be4859d23df49b32ebd703834 A Defesa Civil está em Colniza   MT.O morador Renato dos Santos, 37 anos, trabalha como barqueiro na travessia de motos, ele conta que famílias inteiras estão sem nada. “Basta subir um pouco rio acima para o senhor vê como que está a situação. É muito triste. Famílias perderam tudo”, afirma. Segundo Renato, quando da construção da ponte da MT 206, o mestre de obras assegurou que a mesma suportava qualquer cheia, desde que a água não ‘passasse’ por cima. “A água passou mais de um metro acima da ponte”, assevera. E aponta mostrando até onde o nível do rio chegou. “Agora já baixou bastante”, finaliza.
O caseiro José Lima de Souza, 58 anos, conhecido ‘Zé Veinho’, que cuida da Ilha do Cidão, e agora está transportando pessoas entre Guariba e a sede do município, faz questão de mostrar ‘in loco’ o estrago provocado pelas águas e leva a equipe de reportagem até o local. “Ali fica a churrasqueira, a antena parabólica… Eu só tirei o supérfluo, algumas roupas e panelas, o resto está tudo aí”, e mostra o fogão, a geladeira e outros móveis como mesa e cadeiras debaixo da água. O que conseguiu salvar também foram alguns colchões colocados na parte de cima, junto ao teto, e aonde estão os gatos ‘Nico e Lau’. Os dois gatinhos ao ouvir a voz do dono ameaçaram descer, mas ficaram apenas na ameaça. ‘Zé Veinho’ depois faz questão de mostrar, em terra firme, onde cultiva plantação de mandioca, abóbora e outras verduras. “Acabou tudo, olha aí”, aponta, para em seguida dizer “eu espero reconstruir tudo, com ajuda de Deus”, enfatiza.
O morador João Elói de França, que completa 70 anos este ano, diz que chegou a ver a enchente de 1949, mas acha que esta foi a maior enchete da história. “Aqui para baixo o estrago foi muito grande”, afirma. Outros moradores confirmam que nesses anos todos nunca tinham visto uma enchente desse tamanho. João Elói faz questão de ressaltar que além de volumosa a enchete foi muito rápida. “O rio subiu em questão de horas. Nem precisou de um dia inteiro”, afirma.
A prefeita de Colniza, Nelci Capitani, afirma que as chuvas deste ano “alagou rios, danificou pontes e deixou comunidades inteiras isoladas”. Por causa dos danos provocados em diversas pontes e bueiros 8 comunidades estão sem aula. Essas comunidades recebem os alunos da zona rural e como não tem transporte escolar as aulas estão suspensas.
“Entendemos a angústia das pessoas, que estão isoladas, sem comunicação, mas o socorro está chegando”. Segundo ela, a comunidade de Guariba recebeu medicamentos nesta quinta-feira (10.03) e nesta sexta-feira (11) o Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Defesa Civil, vai disponibilizar o helicóptero para levar remédios e mantimentos até a comunidade de Três Fronteiras. As demais comunidades, segundo a prefeita, serão atendidas por barcos e motos.
O governador Silval Barbosa já determinou à Casa Militar que mobilize as secretarias de Segurança Pública (Sesp), de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu), das Cidades (Secid), de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social (Setecs), em caráter de urgência para atender a população das localidades. Para facilitar os trabalhos de abastecimento na região será montada uma base aérea em Juína, onde estará uma aeronave para transporte de alimentos, combustíveis e outros materiais para a população.
De acordo com a Defesa Civil do Estado, o nível pluviométrico no local chega aos 50 milímetros ao dia. Nível considerado acima do normal, mesmo em período chuvoso.
O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, estará em Cuiabá nesta sexta-feira e se reúne com o governador.

Sobre o Autor

- Sejam bem vindos(as), somos um Site de Notícias com conteúdos variados do Estado de Mato Grosso, a nossa equipe de Redação e a Administração do Site está localizada no Município de Colniza.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar essas tags html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

.